Conceito: Espada mercenária
Inspirações: Indefinidas
Campanha: Raças & Classes
Primeira aparição: Há muito, muito tempo atrás…
Interpretado por: Wendel Uchoa

Hellack

NB, Humano illuskani Guerreiro 12
Humanóide (Humano) Médio
Iniciativa +5, Sentidos Observar 13, Ouvir 13
Idiomas Anão, Chondathan

CA 24 (+1 Des, +13 armadura de batalha +5), toque 11, surpresa 23
DV 12d10+36 (106 PV)
Fortitude +16, Reflexos +10, Vontade +10

Deslocamento 6 m
Corpo a corpo Espada larga flamejante +2: +21/+16/+11 para acertar, 20 (2d6+13) de dano cortante mágico mais 3 (1d6) de dano de fogo, dec. 17-20
À distância Arco longo composto reforçado obra prima: +14/+9/+4 para acertar, incremento 33 m, 9 (1d8+5) de dano perfurante, dec. x3
BBA +12, Agarrar +17
Opções de ataque Ataque poderoso (atq -12, dano +24)
Ações especiais Trespassar
Itens 6 flechas anti-dragão +1

For 16/20, Des 13, Con 16, Int 12, Sab 8, Car 10
Talentos Ataque poderoso, Especialização em arma (Espada larga), Especialização em arma maior (Espada larga), Foco em arma (Espada larga), Iniciativa aprimorada, Liderança, Prontidão, Sucesso decisivo aprimorado (Espada larga), Trespassar, Vontade de ferro
Perícias Adestrar animais +5, Cavalgar +7, Escalar +12 (-5 com armadura), Natação +12 (-10 com armadura), Observar +3, Ouvir +3, Saltar +17 (-5 com armadura)
Equipamento Espada larga flamejante +2, arco longo composto reforçado obra-prima (For +5), aljava com 14 flechas e 6 flechas anti-dragão +1, armadura de batalha +5, cinto da força do gigante +4, manto da resistência +5, 98 PO.

Histórico

Hellack era um simples soldado da guarnição humana mais ao norte dos Reinos. Apesar daquela ser a única fortaleza que separava o reino humano duma invasão massiva dos orcs, também era verdade que havia mais de um século que não se ouvia tambores de guerra ecoando das profundezas e ninguém achava que ocorreria uma nova horda, tamanha fora a desgraça imposta pelos orcs na última delas.

Mas os orcs vieram e foi durante a vigília de Hellack. A fortaleza foi arrasada e a horda continuou seu caminho de destruição; apenas o guerreiro sobreviveu à investida e apenas por que foi soterrado pelos corpos de seus companheiros.

Hellack retornou aos Reinos a tempo de alertá-los e de lutar corajosamente ao seu lado. Foram tantos os feitos de valor que realizou e tantos aliados conquistados lutando ombro a ombro, que, terminada a guerra, ele resolveu fundar sua própria companhia mercenária, a Companhia das Espadas Famintas, que atuou em seguida contra os trolls em fuga dos pântanos, contra os gigantes que expulsaram os trolls, contra os bárbaros que se reuniam como os orcs e em todas estas campanhas obteve vitórias decisivas.

E depois de todos esses anos lutando e emprestando suas armas aos governantes bondosos dos Reinos, Hellack (agora Alto Capitão) decidiu dar um passo além e invadiu com sua companhia um castelo em ruínas, expulsando os monstros que lá habitavam e reclamando para si seu domínio. Foi assim que reergueu o Castelo Escarpado e renomeou-o como Mandelgrar, em homenagem à sua antiga guarnição de fronteira.

No entanto, este nome parecia estar amaldiçoado: nem um ano se passou desde a reconstrução do castelo e um horror desceu dos céus sobre ele, cuspindo fogo. Era o dragão vermelho Galaxamaruu e ele foi o responsável pela destruição do castelo e a morte de boa parte da Companhia das Espadas Famintas. A tragédia só não foi pior devido ao sacrifício do seu Alto Capitão, que perdeu a vida para aniquilar o dragão na Batalha da Ponte de Fogo.

Hellack foi trazido de volta à vida por seus companheiros algum tempo depois, mas ainda não conseguiu reestruturar nem seu castelo, nem sua companhia de mercenários.

Anúncios